TRATAMENTOS

bien-chung-se-giam-di-khi-su-dung-phau-t

CÂNCER DO ESÔFAGO

  De acordo com as estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência esperada para esta neoplasia, a cada ano do triênio 2020-2022 no Brasil, é de cerca de 8.690 casos novos para homens e 2.700 para mulheres.

esofago.jpg

CÂNCER DO ESTÔMAGO

O tratamento para o câncer de estômago depende também do estágio da doença e poderá ser tratado apenas com cirurgia sem precisar de quimioterapia e de radioterapia. 

cancer-pancreas.jpg

Câncer de Pâncreas

O câncer de pâncreas tem chances de cura se for descoberto na fase inicial. Nos casos onde a cirurgia é uma opção, o mais indicado é a ressecção (retirada do tumor).

pseudomixona peritonal.jpg

PSEUDOMIXOMA PERITONEAL

 O pseudomixoma peritoneal (PMP) é uma doença muito pouco comum (1 a 3 casos para cada 1 milhão de habitantes) e muito pouco conhecida entre muitos médicos, mesmo entre cirurgiões. 

Neoplasias_Da_Glândula_Tireóide.jpg

​Neoplasias da Glândula Tireóide 

O tratamento das neoplasias da glândula tireóide é cirúrgico e consiste em realizar a tireoidectomia total.

106488347_330049824667283_71968868869201

CÂNCER DO OVÁRIO

 O câncer de ovário, juntamente com o do corpo uterino, correspondem a duas das mais graves malignidades femininas. 

Câncer_Colorretal.jpg

CÂNCER COLORRETAL

O tratamento do câncer colorretal depende da localização do tumor e da extensão do tumor para outros órgãos e do quadro de saúde do paciente.

106290501_291570841987600_85527199297696

MESOTELIOMA

PERITONEAL MALIGNO

Esta é uma doença pouco predominante no Brasil. É a neoplasia das membranas serosas que revestem internamente o tórax (pleura), o abdômen (peritôneo) e o saco pericárdico (que reveste e protege o coração). 

Câncer do Endométrio.jpg

CÂNCER Do ENDOMÉTRIO

Os cânceres do corpo do útero, dos quais o principal representante é o endométrio (camada que recobre internamente a cavidade uterina), correspondem à 8a causa de câncer mais comum no Brasil, conforme dados do INCA, atualizados para 2020. Na Região Sul, é a 11a causa de câncer, com uma taxa de 6,53 mulheres acometidas a cada 100 mil mulheres.

106334400_297344841626569_23812102366072

LINFADENECTOMIA PÉLVICA E RETROPERITONEAL

Consiste na retirada cirúrgica de grupamentos de linfonodos localizados na pelve e no retroperitônio. É uma etapa importante do tratamento de alguns tipos de câncer que fazem disseminação para estas topografias, como por exemplo no câncer de testículo, melanoma de membros inferiores e alguns tumores ginecológicos (ovário, colo uterino e endométrio).